jump to navigation

Transferência de Tecnologia 2009/12/10

Posted by gsavix in Conhecimento para receber ou transferir tecnologia, Memorando, metodologia para receber ou transferir conhecimento.
Tags:
trackback

É muito comum encontrar a expressão “transferência de tecnologia” para designar:

(1) a passagem dos conhecimentos de uma fase a outra do processo de produção de novas tecnologias, independentemente dos agentes econômicos envolvidos, tal como a transferência dos conhecimentos obtidos na fase de desenvolvimento experimental para a engenharia de produto;

(2) as formas de acesso às fontes externas de tecnologia, bem como qualquer transação comercial que envolva componentes desta natureza.

Este capítulo trata especificamente desta última forma de transferência. Neste caso, a expressão “transferência de tecnologia” deveria a rigor, indicar o processo pelo qual uma empresa passa a dominar o conjunto de conhecimentos que constitui uma tecnologia que ela não produziu. Para isso é necessário que essa tecnologia seja completamente assimilada pela empresa receptora. Assim, para que ocorra realmente uma transferência, a empresa receptora deve também efetuar algum esforço para desenvolver tecnologia própria, mesmo que seja de caráter adaptativo. Vale lembrar que a tecnologia é um conjunto de conhecimentos que permite criar bens de produção e, portanto, não se confunde com as instruções necessárias para utilizá-los. Dessa forma, não se pode dizer que ocorre transferência de tecnologia quando as empresas receptoras apenas aprenderam a usar esses bens. Nesse caso, ocorre tão simplesmente uma difusão de técnicas ou de métodos de produção.

O comércio de tecnologia é atualmente um dos principais meios pelos quais uma empresa pode ter acesso às fontes externas de tecnologia, sendo, portanto, um dos principais instrumentos que permite desencadear processos de transferência de tecnologia. Cabe lembrar que esse processo pode ser também desencadeado por outros meios como, por exemplo, através de análise de documentação técnico científica, cópia de produtos e equipamentos, contratação de técnicos de outras empresas, espionagem industrial e outros expedientes similares. Assim, tanto pode existir transferência sem comércio, como nos exemplos acima, quanto comércio sem transferência, quando a empresa receptora apenas manipula instruções, produtos e materiais sem saber como eles foram obtidos.

Comércio de Tecnologia:

Como as tecnologias são interdependentes, a auto-suficiência tecnológica por parte de uma empresa, caso fosse possível, certamente seria antieconômica. A aquisição de tecnologia externa pode eliminar etapas do processo inovativo e evitar a perda de tempo e de recursos para gerar e organizar conhecimentos que já estariam disponíveis. Por isso, mesmo as empresas que são grandes produtoras e vendedoras de tecnologia continuam comprando parte dos componentes tecnológicos que necessitam.
O setor produtivo de qualquer país sempre combina tecnologia produzida internamente com tecnologia importada. Isso ocorre inclusive nos países mais desenvolvidos que são os que mais investem em ciência e tecnologia, assunto que já foi tratado no capítulo anterior. São nesses países onde se verifica o comércio de tecnologia mais intenso.

referência bibliográfica:

Produção e Transferência de tecnologia,

José Carlos Barbieri, editora Ática, 1990, São Paulo

(direção Benjamin Abdala Junior)

Anúncios

Comentários»

No comments yet — be the first.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: